16 de ago de 2008

COMO CONSEGUIR O MELHOR DE SI MESMO

ABRAHAM SHAPIRO

Todos nós temos nossas crenças interiores. Observe as suas. Penetre nos seus julgamentos automáticos. Crenças são aquelas convicções já prontas que você mantém dentro de si e que nem sempre você é capaz de dizer de onde vieram.

Ao longo da vida, estamos assistindo a tudo o que se transcorre à nossa volta. Acontece que nós só vemos e ouvimos, de fato, aquilo que passa através dos nossos filtros. Esses filtros foram desenvolvidos pelas idéias que acreditamos serem verdadeiras. Elas, aliás, é que determinam a nossa perspectiva de vida.

É natural em nós o desejo de estar certos em relação àquilo que acreditamos. Se você pesquisar bem e conseguir se observar, terá evidências disso. Na verdade, você só consegue perceber aquilo que lhe é mais interessante. Portanto, de tudo o que acontece, você capta as coisas que comprovam o que você crê. Se alguém quer estar certo sobre o que acha ser certo, é isso o que ele irá ouvir.

Mas porque estou escrevendo sobre isso? Se você quiser ampliar suas perspectivas pessoais, enxergar mais longe, ouvir melhor, superar suas idéias bitoladas ou hábitos que têm causado mais problemas do que soluções no seu dia-a-dia, mexa nas suas crenças.

Comece fazendo um exercício. Diante daquelas situações diferentes do que você acredita ser correto, dê ao autor a chance de expor o que ele pensa. Faça perguntas. Seja um questionador antes de condenar as pessoas por não pensarem do seu modo. Imagine quantos conflitos serão evitados a partir do instante em que você impuser alguma dúvida sobre a supremacia e perfeição de suas próprias idéias.

CONDICIONAMENTOS

Em toda a nossa vida somos submetidos a inúmeras formas de condicionamento. Nossos pais, professores, amigos e as situações nos condicionaram e moldaram o que somos. Por isso, enxergamos os fatos da vida através de uma lente – a nossa visão de mundo.

A perspectiva da nossa vida é esta ótica pela qual fomos induzidos a ver. É como se usássemos óculos com lentes azuis. A realidade, para nós, passaria a ser esta.

Muitas crianças cresceram ouvindo os pais dizerem: “Você é burro”. Então o que elas tendem a pensar? “Eu sou um burro”. Agir partindo desta idéia gerou um padrão de resultados diferente delas terem aprendido que são inteligentes.

Você e eu temos inúmeros padrões na vida – para ganhar dinheiro, trabalhar, para manter a saúde, conduzir relacionamentos etc.

Você já teve, por exemplo, a impressão de que todos os seus chefes eram iguais? O Alceu, meu amigo, revelou-me já ter trabalhado em pelo menos dez empresas diferentes. O engraçado é ouvi-lo dizer que o mesmo chefe estava em todas – ainda que um deles fosse mulher.

O que ocorre com o Alceu é que ele criou um padrão de chefe em sua mente e o personaliza na figura de qualquer chefe.

Não é o "chefe durão" que o persegue. Talvez seja a necessidade dele ser comandado e ter alguém que o controle constantemente dizendo o que deve fazer. Mas como o chefe não o dirige, não comanda nada disso, e, de sobra, exige resultados e metas alcançadas, acaba sendo julgado como autoritário.

Agora responda: onde estará o defeito – no chefe ou no modo como o Alceu o enxerga?


A ATRAÇÃO

Quem somos nós? Quem são as pessoas que conhecemos? Estas são histórias que nós mesmos criamos. Durante a nossa vida, ficamos recriando as mesmas histórias, isto é, as imagens de quem somos e de quem são todos. Ficamos recriando cenários.

Digamos que você esteja querendo pedir um aumento ao seu chefe e este seja o seu objetivo. Mas você pensa: “Meu chefe não gosta muito de mim. Ele me olha torto. Eu tenho medo dele. Ele não vai me dar aumento”. Esta é a sua fala interior.

Nós temos uma voz interior que não pára nunca. Ela é o nosso treinador interno – quem nos ajuda a conseguir o que queremos ou que nos desencoraja a sair para a luta. Esta voz é o resultado das nossas crenças interiores.

Nós temos um padrão interior para tudo. Faça um breve balanço: “Em que áreas da minha vida eu tenho padrões?” Em vez de culpar o chefe, o colega, o cônjuge, um relacionamento, a dieta atual ou o governo, verifique o que há de realmente consiste nestes padrões. Aí pode estar a verdadeira causa de todos os seus problemas.

Descubra que nós atraímos para junto de nós absolutamente tudo aquilo que queremos. Atraímos sentimentos, pensamentos e principalmente as pessoas que podem representar o modelo que funciona como um espelho para qualquer situação da nossa vida.

Portanto, novamente estamos diante de escolhas. Nosso sucesso dependerá do modo como decidiremos e de quais decisões tomaremos a nosso próprio respeito.

A QUESTÃO DO TEMPO

O que é o futuro? Só oportunidades.

No passado não existem oportunidades. O nosso maior problema é que, na nossa mente, o passado penetra no futuro. E aí, quando olhamos para o futuro, vemos o passado e o futuro entrelaçados. É como se olhássemos para trás a fim de ver aonde vamos! Assim, não temos futuro. O que temos, na verdade, é um passado disfarçado com chapéu e roupas novas a que chamamos de futuro. Mas é passado.

É muito importante tomar consciência de que não importa o que aconteceu no passado. O que quer que tenha acontecido, já acabou. O passado já era. Nem você nem eu podemos mudá-lo ou melhorá-lo.

Se olhar um pouco mais fundo em sua vida, verá que o fato ocorrido há cinco minutos não tem mais nada a ver com o que acontece agora. Você verá que está fazendo escolhas na vida como se o passado não tivesse nada a ver com o presente. Portanto, não devemos dar ênfase aos acontecimentos pretéritos, muito menos valorizá-los como determinantes em nossas decisões atuais. Este é um erro.

O passado deve ser visto como uma fonte de informações. Mas não devemos nos perder nisto. É arriscado demais andar de costas. Disso depende nossa liberdade de fazer opções utilizando os máximos recursos de nossa inteligência e espiritualidade. O que passar disso, é confusão. E talvez isso esteja dominando sua vida e fazendo-o viver infelicidades, desencontros ou tristezas. Deixe o passado. Assuma o presente. Defina-o como seu recurso. Comece, então, a construir a vida que você deseja ter.

Você não se sente bem? Você pode controlar isso. Todos nós já passamos pela situação de ir a uma festa de mau humor. Então pensamos: “Não vou estragar a festa”. Aí, fazemos uma escolha diferente e, em poucos segundos o mau humor sumiu.

Quem já não esteve na situação de ter de entrar numa reunião importante sem os melhores recursos pessoais? Deixamos de lado o que sentíamos e lá fomos nós. As pessoas vivenciam isto sempre. Portanto, a questão é: quando você irá adquirir controle sobre si mesmo e fazer valer estes princípios?

Muitos insistem em dizer: “Vou fazer isto depois”. Mas o que é “depois”? Você está aqui, agora. A pretensão de só fazer “depois” é vaga e sem sentido. O depois sequer existe. Querer chegar “a algum lugar além do arco-íris” pode até ser um bonito sonho. Mas enquanto o sonho toma conta da cabeça, o Totó faz xixi na perna.

Não existe futuro.Ficar distante da realidade é fácil. Parece que ninguém quer estar aqui. “Agora” parece ser a coisa menos importante, quando, na verdade, é o único momento real da vida. Tudo o que temos é o momento atual.

Só "agora" é possível influenciar, mudar, crescer, realizar...

Estando no seu carro a caminho do trabalho, seria possível pensar: “não estou no meu carro”? Pensar assim não mudaria nada. Você continuaria no carro. Negar não mudará absolutamente nada.

O que, de fato, tenho real poder de mudar? Apenas e tão somente o que eu sou. Nada mais.

___________________________

Abraham Shapiro é coach e consultor especialista em liderança, time de venda e relacionamento com o cliente. Contatos: shapiro@shapiro.com.br