28 de mai de 2013

RECEITA DE PRIMEIROS SOCORROS PARA EMPRESAS IMERSAS EM BAIXA PRODUTIVIDADE

ABRAHAM SHAPIRO

Quando o funcionário desconhece os procedimentos padronizados mínimos de sua função, ele se vê obrigado a agir por si. Qual ferramenta usa? Sua percepção básica. E os resultados quase sempre não serão conformes aos que seus superiores e clientes esperam.
Sem conhecer um padrão para agir, o funcionário se obriga a agir. E ao agir não fazendo o que é esperado, seu chefe certamente o repreenderá. Mas qual é o erro aqui? Este funcionário não tem meios de saber "o que" exatamente deve fazer, “como fazer” e “o nível de eficiência” que  precisa atingir.
Isto envolve inúmeras variáveis invisíveis. Uma delas é o clima organizacional, pois gera altos níveis de insatisfação.
O curioso é que nunca há impedimento algum para que a empresa estabeleça procedimentos para as funções. E isto tampouco é difícil. O que falta, mesmo, é que os gerentes compreendam que devem ter boa vontade para fazê-lo, especialmente porque exige esforço.
Na verdade, é comum os gerentes confundirem dois conceitos. Padronizar procedimentos não é o mesmo que burocratizar. Burocracia geralmente dificulta o fluxo produtivo, enquanto padronização de procedimentos só facilita este fluxo.
Conhece algum Programa de Qualidade Total? Qual é seu segredo de sucesso? São as descrições detalhadas dos procedimentos de cada atividade e sua aplicação prática. Sem isso, o colaborador desorientado não tem foco nem visão de sua participação no processo, ou seja, ele não saberá como iniciar, como desenvolver e nem finalizar as tarefas. Ele irá adquirir aquele hábito mortal e desgraçado de acumular deveres,  iniciá-los e jamais terminar.
Para a sua informação, estudos comprovam que deveres inacabados consomem recursos da empresa sem que ninguém os contabilize. É como o vazamento de um líquido de dentro de um tanque sem que alguém se preocupe em reter. É prejuízo na certa.
Outro ponto a saber é que quanto mais o colaborador se envolve com organização, mais seguro ele se sente. A consequência é seu engajamento e responsabilidade. Não é disso que você mais precisa? Então faça a coisa certa, e do modo certo.
______________________ 

Abraham Shapiro é consultor e coach de líderes. Sua filosofia de trabalho, em uma só palavra, é simplicidade. É autor do livro "Torta de Chocolate não Mata a Fome - Inspirações para a Vida, o Trabalho e os Relacionamentos", Editora nVersos, 2012. Contatos: shapiro@shapiro.com.br ou (43) 8814 1473