9 de out de 2012

O LIMITE DOS ERROS

ABRAHAM SHAPIRO


Quem já assistiu a uma palestra de motivação decerto ouviu um daqueles caçadores de níqueis enaltecer a célebre citação de Thomas Edison sobre suas tentativas de encontrar um filamento adequado para sua lâmpada elétrica tornar-se comercialmente viável. Para quem não sabe ou deseja se lembrar, aqui vai.
E disse Edison: “Eu não fracassei 700 vezes. Não fracassei nenhuma vez. Provei com sucesso que essas 700 maneiras não funcionam. Quando tiver eliminado as maneiras que não funcionam, encontrarei aquela que funciona”.
Bravos! Uma linda frase. E que efeito fantástico ela exerce especialmente sobre quem erra em suas tentativas e está inclinado a desistir. “Não desista” – é o que ela ensina indiretamente. “Continue tentando e aprendendo com seus erros até acertar e aprender a fazer correto”.
Thomas Alva Edison
Dependendo da fonte, Edison teria experimentado não setecentos, mas mil ou 10 mil filamentos diferentes na busca por uma lâmpada melhor. O número, aqui, não importa. Motivadores – vagabundos ou sofisticados – continuam a citar a frase porque ela parece validar o processo de iteração* utilizado por tantas pessoas.
*Iteração é o processo de solução de um problema em que o resultado obtido na etapa atual, mesmo errado, é empregado na tentativa seguinte até que a resposta certa seja alcançada.
As pessoas acreditam que devem continuar experimentando e fracassando até encontrar a resposta que funciona. Acham que é possível aprender tanto com o fracasso quanto com o sucesso, o que, graças a D-us, é verdade!
Contudo, há um ponto importante a se considerar nesta análise. Cada uma das 700 tentativas de Edison lhe custou tempo e dinheiro.
Minhas perguntas são:
  1. Se ele tivesse encontrado a solução para o desafio da lâmpada na primeira tentativa, teria continuado a experimentar outras 699 maneiras que não funcionaram?
  2. Ele acrescentou algum valor através dos filamentos que não deram em nada?
E para a sua reflexão, eu questiono: “A sua empresa pode bancar 700 experiências malsucedidas?” 
Thomas Edison foi um grande inventor – desde menino eu soube disso. No entanto, eu suspeito que se ele ainda estivesse vivo, teria usado uma abordagem completamente diferente daquele para desenvolver um filamento durável.

A busca de uma resposta correta pelo caminho do erro e acerto tem um limite!
______________________ 

Abraham Shapiro é consultor e coach de líderes. Sua filosofia de trabalho, em uma só palavra, é simplicidade. É autor do livro "Torta de Chocolate não Mata a Fome - Inspirações para a Vida, o Trabalho e os Relacionamentos", Editora nVersos, 2012. Contatos: shapiro@shapiro.com.br ou (43) 8814 1473