31 de dez de 2012

AS LIÇÕES DAS FESTAS EM FAMÍLIA

Artigo publicado no jornal FOLHA DE LONDRINA, em 31/12/2012, na coluna ABRAHAM SHAPIRO, em Empregos e Concursos.

ABRAHAM SHAPIRO

Tenho curiosidade de saber como é que as pessoas comemoram suas festas, especialmente as de cunho religioso. Escolhi o Natal deste ano como propício para isso. Perguntei a uma pessoa religiosa como é que ela celebra o nascimento do fundador de sua religião. Ela foi sincera e bem humorada em sua resposta:
- “Na véspera eu vou à igreja. Depois retorno para casa para a reunião da família. À meia-noite rezamos, comemos e bebemos. Em seguida, começamos a quebrar o pau. (Ela riu ao dizer isto). Sabe o que é? Esta é a ocasião do ano em que todos se encontram. A inveja e as diferenças sociais incitam os palpites na vida alheia. E isso é como fogo no capim seco. Lá pelas 4 da manhã todos já estão com raiva de alguém, um quer matar os outros. Por causa disso, no Ano Novo todos querem distância. Ninguém aguenta ver a cara dos parentes. No ano seguinte,  o espírito natalino, as propagandas da tv e a decoração  verde e vermelha nos fazem crer que será diferente. Todos esquecem de tudo o que passou e se reúnem de novo. Mas a verdade é que espírito nenhum faz alguma coisa. Nós é que temos de fazer”.
Não entendo de natal. Mas esta narrativa traz elementos importantes para o desenvolvimento profissional. Por isso, aproveito para listar abaixo algumas competências úteis para se evitar conflitos e atitudes negativas na vida, no trabalho e nos relacionamentos.
1.    Seja assertivo. A assertividade é a habilidade social de fazer afirmação dos próprios direitos e expressar pensamentos, sentimentos e crenças de maneira direta, clara, honesta e apropriada ao contexto. Ser assertivo é não violar o direito das outras pessoas. Esta postura é uma virtude, pois mantém o indivíduo no justo meio-termo entre dois extremos inadequados: um por excesso – agressão –, outro por falta – submissão. O assertivo diz "sim" e "não" quando é preciso.
2.     Respeite a privacidade dos demais. Por que mantemos o péssimo hábito de achar que as pessoas de quem gostamos têm de nos revelar todos seus pensamentos e segredos? Se elas não os revelam, nós nos sentimos insultados e feridos. Todo mundo tem direito e necessidade de ter uma cortina a qual não quer que os outros adentrem. Entrar nessa área sem permissão é o que se chama “invasão de privacidade”.
3.     Faça as suas próprias opções e deixe que os demais façam as deles. Se uma pessoa escolheu ficar em vez de viajar, ótimo. Não cabe a você questionar.  Se ela escolheu permanecer solteira, não será afrontando-a e insinuando indiretas que ela mudará de ideia. Assuntos pessoais devem ser tratados em particular. Jamais publicamente. Cuide da sua vida!
4.     Largue mão da competição definitivamente. Não há nada pior na vida do que o desejo de ser mais que outros. É mau. O sucesso alheio nunca nos deve afligir. Desejar que os outros sejam ou obtenham menos que você, alegrar-se com seus erro ou quedas e apontar suas falhas são atitudes com o poder de atrair o pior dos males deste mundo: a doença da alma.
Aproveite o ano novo. Anexe em si um novo modo de se comportar. Fará bem a você, aos seus parentes, amigos, colegas e certamente alimentará o respeito por si próprio e a sua autoconfiança. Você vai precisar!
______________________ 

Abraham Shapiro é consultor e coach de líderes. Sua filosofia de trabalho, em uma só palavra, é simplicidade. É autor do livro "Torta de Chocolate não Mata a Fome - Inspirações para a Vida, o Trabalho e os Relacionamentos", Editora nVersos, 2012. Contatos: shapiro@shapiro.com.br ou (43) 8814 1473