24 de dez de 2012

A RAZÃO, O SENTIDO E O SER

Artigo publicado no jornal FOLHA DE LONDRINA, em 24/12/2012, na coluna ABRAHAM SHAPIRO, em Empregos e Concursos.

ABRAHAM SHAPIRO


Todas as escolhas que fazemos sem um nítido e conhecido propósito acabam causando satisfação momentânea sem que supram, de fato, as nossas necessidades reais. Sem um objetivo, não é possível chegar a qualquer meta.
Observe um fato curioso. Quase todos os animais suportam uma dieta simples e fixa. O homem, não. Nós necessitamos de, e até exigimos, uma variedade alimentar. Isso é interessante, pois pão e água seriam uma boa e suficiente alimentação. Mas uma dieta assim é praticamente inconcebível por qualquer pessoa em condições normais de vida. Comidas finas, tortas, frios e outras delícias encantam todo mundo. A culinária, aliás, é um diferencial de cultura entre os povos e está presente em suas religiões, rituais e crenças.
Os sábios da Cabalá – a mística Judaica – ensinaram que essa atração natural pela variedade de alimentos revela o fato de sermos interiormente movidos por uma energia espiritual cuja função é conduzir nossos desejos a pensamentos e atos tão refinados quanto variados.
Mas não é só nisso que somos diferentes dos animais. Além de nossa capacidade de falar, de expressar nossos mais profundos pensamentos e ideias, a maior de todas as diferenças é que nós buscamos um significado para a vida. Necessitamos de um propósito para tudo. Sim, é uma necessidade. E a comida tem enorme relação com essa carência intrínseca.
Mesmo sabendo que não encontrarão o real sentido da vida em um prato de filé acebolado ou na mais fina iguaria, muitas pessoas estão confusas e mal focadas nos conceitos existenciais, a tal ponto que buscam a razão de viver em algo cuja função exclusiva seria servi-las como alimento, e nada mais. ‘Não só de pão vive o homem, mas de tudo o que provém da boca de Deus’ pode ser interpretado, portanto, à luz desse fato. Uma belíssima interpretação possível é: ‘Posto que o homem não possa viver só de pão, ele preencherá esse espaço vital extra com um real significado, ou seja, a relação com o seu Criador. Caso isso não ocorra, ele buscará substitutos’. A comida é uma das alternativas possíveis – talvez a mais imediata e, por isso, o meio em que as pessoas mais insistem.
Vida, trabalho, relacionamentos. Nisso e em tudo mais, se não tivermos um propósito nítido e claro de elevação e realização, estaremos fadados ao “nada”, ao vazio, a “não ser” aquilo que se faz a nossa missão incondicional da vida neste mundo.
______________________ 

Abraham Shapiro é consultor e coach de líderes. Sua filosofia de trabalho, em uma só palavra, é simplicidade. É autor do livro "Torta de Chocolate não Mata a Fome - Inspirações para a Vida, o Trabalho e os Relacionamentos", Editora nVersos, 2012. Contatos: shapiro@shapiro.com.br ou (43) 8814 1473