9 de nov de 2012

FUNCIONÁRIOS QUE FAZEM "BICO" NO TRABALHO

ABRAHAM SHAPIRO

Aqueles funcionários vendiam cosméticos, roupas e recipientes plásticos aos colegas. Não por ganância,  mas para complementar seus salários.
Via de regra, quando um funcionário recebe remuneração compatível, e enxerga perspectivas concretas na empresa em que trabalha, ele dá em troca toda sua dedicação. Quando, porém, ele e os colegas veem no emprego algo estático, exploratório e distante da realidade de remuneração do mercado, ele mantém sua constante prospecção por outra vaga, a visão permanente de um segundo emprego ou  fará um “bico” para complementar seus ganhos.
Em psicologia, o termo “ambição” significa “insatisfação com sua situação atual e o desejo de promover mudanças para melhor”.
Se a empresa oferece condições de mobilidade funcional ou salarial, o colaborador interessado terá a tendência de engajar-se a suas tarefas. Ele quer intensificar sua iniciativa pessoal e obter os efeitos de suas ações o mais rápido possível. Tem objetivo de crescer até novos patamares e a empresa representa sua fonte de realizações.
Quando, porém, os benefícios escoam o tempo todo para o bolso do patrão ou a empresa não se propõe a desenvolver um modelo de gestão de pessoas que valorize seu quadro de funcionários devidamente,   o empregado trabalha o mínimo necessário, não dá tudo de si e atua “com um olho no peixe e o outro no gato”.
Quanto isso custa? Não vale a revisão do modelo de gestão de RH desta empresa?
Os tempos mudaram. Talvez você seja da época em que era comum dizer: “Ninguém é insubstituível”, ou “Não está satisfeito? Passe no RH e acerte as contas!”.
Agora, o funcionário insatisfeito deixará em seu lugar uma conta praticamente impagável correspondente aos treinamentos que recebeu, às estratégias de operação da empresa que, tendo ele conhecido, poderá revelar a concorrentes, sem contar a influência negativa que exercerá sobre muitos dos colegas que ficaram.
Quer algo pior? Eu direi. Você não conseguirá substituí-lo senão por alguém provavelmente pior, pois os bons profissionais estarão bem empregados quando você mais precisar de um.
______________________ 

Abraham Shapiro é consultor e coach de líderes. Sua filosofia de trabalho, em uma só palavra, é simplicidade. É autor do livro "Torta de Chocolate não Mata a Fome - Inspirações para a Vida, o Trabalho e os Relacionamentos", Editora nVersos, 2012. Contatos: shapiro@shapiro.com.br ou (43) 8814 1473