19 de set de 2014

FAZER O MELHOR x FAZER TUDO

ABRAHAM SHAPIRO










A necessidade de se sentir importante tem sido cada vez mais identificada como um dos elementos básicos da natureza humana. Em especial hoje em dia, todos desejam ser respeitados.
Mas infelizmente poucos indivíduos têm em si uma fonte genuína de auto respeito. A maioria depende do que os outros acham ou de como os julgam. Outros acreditam que é preciso ter algum talento especial para ser admirado. É por isso que apresentar-se pela profissão ou pela função que se desempenha é o meio mais comum como a gente se apresenta. Se conseguirmos impressionar, então nos sentimos importantes. Do contrário, não.
Mas será que isso se sustenta?
Um dos pontos negativos e comprometedores desta filosofia é o intenso medo de falhar que está presente em quase todo mundo. Nosso medo é que as pessoas que nos rodeiam percam a boa impressão que conquistamos através de tanto malabarismo social. E caso isso aconteça, o castelo de cartas da nossa autoestima cairá por terra.
Esforçar-se para acertar todo o tempo é bom! Mas registre logo na primeira página de seu manual de sobrevivência que se algo der errado - e eventualmente dará - o procedimento padrão a ser seguido é: reflita, aprenda, corrija os seus planos e prossiga.
“Fazer o melhor que posso” ... na verdade é muito diferente de "fazer tudo que posso".
Quando eu digo que estou fazendo o melhor que posso, na verdade estou fazendo o melhor... dentro do meu conforto. E se você tiver alguma experiência ou sabedoria, já deve ter descoberto que fazer um grande trabalho, com esforço e dedicação real, exige que você faça tudo o que pode. E isso incomoda... e também dói “pra chuchu”.
______________________ 

Abraham Shapiro é consultor e coach. Sua filosofia de trabalho, em uma só palavra, é "simplicidade". É autor do livro "Torta de Chocolate não Mata a Fome". E-mail: shapiro@shapiro.com.br Fone: 43. 8814.1473